quarta-feira, novembro 18, 2015

Os primeiros garis mulheres somente foram contratadas em 1975


Se hoje, conforme se vê, as mulheres ocupam praticamente todos os espaços profissionais (embora geralmente ganhem menos que os homens), há apenas quatro décadas a situação era muito diferente - para pior, é claro. A década de setenta - importantíssima para a luta da chamada "emancipação" feminina - representou um avanço importante na questão da igualdade de direitos. O ano de 1975, declarado pela UNESCO o Ano Internacional da Mulher, assistiu as primeiras mulheres contratadas como garis, realizando serviços de limpeza das ruas de cidades gaúchas - algo que, por seu ineditismo, gerou matérias nos jornais da época. E havia apenas três anos - mais exatamente em 1972 - a primeira motorista mulheres de ônibus de passageiros era admitida, em São Paulo, merecendo igualmente destaque nos noticiários. Outros tempos, como se vê, e nem tão distantes assim.

terça-feira, novembro 17, 2015

A espantosa potência da Rádio Farroupilha, inaugurada em 1935

A Rádio Farroupilha, a terceira emissora mais antiga do Rio Grande do Sul, foi oficialmente inaugurada em julho de 1935, com um show ao vivo de Carmen Miranda, que, grande nome da música brasileira, ainda não havia ido para os Estados Unidos e se consagrado como estrela internacional. Com uma espantosa potência de 50 quilovates na base, a Farroupilha - propriedade, entre outros, do então presidente do Estado, o general Flores da Cunha - era capaz de chegar aos mais remotos recantos do Brasil e da América do Sul, como se vê nesta reprodução de um anúncio da emissora publicado no Correio do Povo, exatamente naquele ano dos estrondosos festejos do centenário da Revolução Farroupilha, evento que mobilizou Porto Alegre e o Estado durante meses. 

A Assembleia Legislativa gaúcha, ainda inacabada, 50 anos atrás.

Em novembro de 1965 - portanto, meio século atrás -  o edifício da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul ainda não havia sido concluído, em substituição ao velho casarão onde a "casa do Povo" funcionava anteriormente. Imponente, quase junto ao Palácio Piratini, na área mais central de Porto Alegre, a Assembleia gaúcha demoraria ainda mais de um ano para ter o aproveitamento parcial da construção que consumiu muito dinheiro e causou muito transtorno à região central da cidade. Naquela época Porto Alegre tinha cerca de 800 mil habitantes, o governador nomeado era Walter Perracchi Barcelos,e o País vivia ainda o início da chamada Revolução de Março - o golpe militar que derrubou João Goulart do comando da nação. O presidente, Castelo Branco, havia cassado direitos políticos de centenas de pessoas, mas ainda havia esperança de que o movimento militar deflagrado em 64 fizesse o Brasil retomar o curso da democracia - o que, como se sabe, não aconteceu. A reprodução é do jornal Correio do Povo, coleção do Arquivo Histórico Moyses Vellinho.
Mariano, em A Charge Online.