Translate

quarta-feira, fevereiro 26, 2014

Ladrão do passado, especializado em roubar máquinas de escrever: 1965

Ela já foi objeto sentimental para muitas pessoas, especialmente escritores ou aspirantes a tal. Desparecida por força da informática e dos modernos computadores pessoais e de bolso, a velha máquina de escrever é um objeto quase desconhecido para quem tem até 30 anos de idade - a maioria das pessoas nunca sequer tocou em alguma de suas teclas, outros sequer a viram pessoalmente, e quem dela se lembra não consegue mais imaginar como conseguia escrever algo naquilo... Mas, em 1965, quando os computadores pessoais não existiam e a computação era algo de filme de ficção científica, as velhas Olivetti, Remington, Burroughs ou outras marcas variadas custavam, se fossem profissionais, quase tanto quanto um micro simples custa hoje. Daí a curiosidade desta notícia da página policial do Correio do Povo, informando da existência de um ladrão especializado em roubar máquinas de escrever. 

Nenhum comentário: