domingo, abril 27, 2014

Há 38 anos acontecia um dos crimes mais famosos do Rio Grande do Sul


Em 11 de abril de 1976, à meia-noite de um sábado, o jornalista Flávio Alcaraz Gomes - então um dos maiorais da imprensa gaúcha - matou com um tiro de espingarda a estudante e funcionária pública Maria José Alberton Silva, que namorava com um médico na frente da residência de Alcaraz, na rua Sinke, morro Santa Teresa, em Porto Alegre. Sentindo-se ameaçado, depois de mandá-los embora, Flávio pegou uma espingarda calibre 12, cano serrado, e disparou,atingindo a cabeça da moça. O Crime dois um dos mais comentados de toda aquela década de 70 sem Porto Alegre, recebendo a mídia muitas críticas pela forma como tratou do caso - todos os jornais evitaram dar destaque ao ocorrido. Em agosto de 1979 foi condenado a 12 anos de reclusão, que obviamente só cumpriu em pequena parte. Flávio Alcaraz Gomes, primo do então poderoso dono da Caldas Júnior, Breno Caldas, morreu recentemente, já em idade avançada.

4 comentários:

Aderbal Nort Wind disse...

Reza a lenda que a história não foi bem assim...

Unknown disse...

Qual foi? Reza a lenda que ele era homossexual, será que foi crime passional?

Anônimo disse...

Tava com ciúme do namorado....ele era um baita pederasta

jorge luis da silva Silva disse...

Eu fiquei sabendo que ele era uma bichona que ficou louco de ciúmes de ver o namorado com uma mulher.