Translate

quarta-feira, julho 01, 2015

O tal de Zeca, a Globo e o sertanejo acidentado

O fato desse apresentador chamado Zeca Camargo ter se revoltado com a cobertura e o auê feitos em torno desse músico sertanejo  que morreu em um recente acidente de carro me espanta um pouco, até porque acho que ele se esqueceu que a sua própria emissora, a Globo, é quem foi a maior estimuladora do fenômeno que transformou um quase desconhecido cantor de gosto duvidoso em um Frank Sinatra brasileiro, um Nelson Gonçalves do século vinte e um. Afinal, foi a Globo que prontamente cancelou um filme da sua tradicional sessão da tarde para dar "flashes" do acontecimento, com repórteres e apresentadores de plantão permanente no ar, algo que, sinceramente, não me lembro de ter acontecido faz tempo. As outras emissoras fizeram o mesmo, ou talvez até pior. Acho que a Globo está certa, por coerência, em dar um puxão de orelha no rapaz (não tão rapaz assim, já tem mais de 50), que esqueceu que não se deve falar mal do patrão que lhe dá emprego, ainda por cima usando o veículo de comunicação do próprio patrão. Se ele não está satisfeito com as coisas que a globo faz, que funde a sua própria emissora de tevê, o seu jornal, revista, sei lá o quê, ou cale-se para sempre. Onde se viu falar em "indigência cultural brasileira", quando a indigência, na verdade, é da mídia brasileira, sendo que todas as redes estão descendo ladeira abaixo com uma velocidade supersônica, e sem exibir nenhum pudor ou sentimento de culpa por isso.  (Vitor Minas) 

Nenhum comentário: