Translate

segunda-feira, março 21, 2011

Preso há 130 dias por homicídio, o jornalista Mário Luís da Silva Martins tem se dedicado a escrever um livro sobre o drama que o levou a assassinar o amigo Juliano Moraes Ribeiro. O crime ocorreu em novembro do ano passado, em Cachoeira do Sul, quando Martins acertou golpes de espeto contra Ribeiro, que estava hospedado em sua residência. O réu, segundo conta, estava sob o efeito de álcool e era agredido pelo amigo diversas vezes.
Na cadeia da cidade, Martins já redigiu cerca de 50 páginas da obra intitulada ‘Os 3 Cs da Dependência Química - Clínica, Cadeia e Cemitério’. Com o livro, o jornalista quer apresentar o retrato fiel das situações que viveu desde que passou a se envolver com drogas e álcool. "O meu objetivo é justamente tocar na ferida e mostrar a realidade dos doentes químicos e alcoolistas. Quero servir de exemplo para que jovens e adolescentes não sigam o mesmo caminho que trilhei até aqui", disse Martins em entrevista ao Jornal do Povo, diário de Cachoeira do Sul. A ideia é mostrar também o cotidiano dos detentos. "Vou mostrar o lado cruel e o humano, a rotina, a cela, a cadeia, regras, alimentação, humilhações e improvisos", antecipou.
Natural de Cachoeira do Sul, Mário Martins, de 43 anos, tem passagens pelos jornais O Correio e Jornal do Povo. Ele atuou também como assessor de imprensa da Sociedade Rio Branco e da Fenarroz.

Nenhum comentário: