Translate

sexta-feira, julho 17, 2009

*Mais uma edição do Programa Missão Amazônia no Parque Indígena do Xingu, no Mato Grosso, será realizada a partir deste domingo, dia 19. Os estudantes Márcio Kessler, da Faculdade de Medicina, Alexandre de Cesaro, da Engenharia, e Vivian Cunha Tanscheit, da Enfermagem, acompanhados do coordenador do Núcleo de Estudos e Pesquisa em Cultura Indígena da Universidade, Irmão Édison Hüttner, vão ao local coletar dados para a realização de exames oftalmológicos para auxílio na prescrição de óculos e identificações de possíveis doenças oculares nos pacientes do Posto Leonardo Villas Boas, que atende a comunidade.
O grupo retorna no dia 2 de agosto e os dados coletados no Alto Xingu serão enviados ao professor da Faculdade de Medicina da PUCRS Flávio Antonio Romani, que enviará a segunda-opinião ao médico no Xingu. As missões assistenciais a áreas remotas do Brasil ocorrem desde 2006. As missões ao Xingu contam com apoio da Fundação Nacional da Saúde (Funasa), do Instituto de Pesquisa Etno Ambiental do Xingu (IPEAX) e da Força Aérea Brasileira (FAB).
O Parque Indígena do Xingu (PIX) foi criado em 14 de abril de 1961 pelo presidente Jânio Quadros. Localizado na região noroeste do Estado do Mato Grosso, na Bacia do rio Xingu, é considerado uma das maiores reservas indígenas, com uma extensão de 2.642.003 hectares. Atualmente, vivem na área aproximadamente 5.500 índios, de quatorze etnias diferentes: Kuikuro, Kalapálo, Nahukuá, Matipú, Txikão (Ikpeng) (linguagem carib), Mehináku, Waurá, Yawalapití (linguagem Aruak), Awetí, Kamaiurá, Juruna, Kayabí (linguagem tupi-guarani), Trumãi (língua isolada), Suiá (linguagem Jê).

Nenhum comentário: