Translate

sábado, fevereiro 27, 2010

CULTURA
Sala P.F. Gastal exibe Mostra Jodorowsky
A Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro (3º andar) recebe a partir de terça-feira, 2, uma programação com filmes do cineasta chileno Alejandro Jodorowsky. Promovida pelo Sesc, a mostra exibe os quatro primeiros trabalhos do artista, há muitos anos radicado na França: o curta-metragem A Gravata (1957) e os longas Fando e Lis (1968), El Topo (1970) e A Montanha Sagrada (1973). Com sessões nos horários das 15h e 19h, a mostra tem entrada franca.
Na quarta-feira, 4, após a exibição do filme A Montanha Sagrada, acontece um debate sobre a obra do diretor com a participação do críticos de cinema Cristian Verardi, Thomaz Albornoz e Marcus Mello. Na sessão das 17h a Sala P. F. Gastal segue exibindo o documentário brasileiro Crítico, de Kleber Mendonça Filho. Ingressos a R$ 3,00 e R$ 6,00.
A Gravata (Le Cravate). França, 1957, 21 minutos.Versão muda de um conto do escritor Thomas Mann sobre uma garota que vende cabeças. Com roteiro de Jean Cocteau, o curta era considerado perdido, mas teve uma de suas cópias recentemente descoberta na Alemanha. Para Jodorowsky, esta que foi sua primeira experiência cinematográfica mostra que “um artista deve ser como Cocteau, esquizofrênico, pois necessita ser muitas pessoas ao mesmo tempo, não apenas uma”. Exibição em DVD.
Fando e Lis (Fando y Lis). México, 1968, 93 minutos.O impotente Fando e sua namorada paralítica Lis viajam em busca da cidade encantada de Tar, atravessando desertos escaldantes e montanhas traiçoeiras. A princípio concebido como uma livre adaptação de uma performance escrita pelo dramaturgo Fernando Arrabal, o filme acompanha dois personagens perdidos que transitam lastimosamente por labirínticos caminhos de incomunicabilidade. Exibição em DVD.
El Topo. México, 1970, 124 minutos.Envolto numa roupagem alegórica e repleto de cifrados simbolismos, o filme narra as andanças de um pistoleiro através do deserto, numa epopéia surrealista que inaugurou a moda das sessões malditas na cidade de Nova York, as famosas “midnight movies”, que logo se espalhariam pelo mundo. Exibição em DVD.
A Montanha Sagrada (The Holy Mountain). México, 1973, 113 minutos.O próprio Jodorowsky interpreta o papel de um alquimista que reúne um grupo de pessoas – cada uma delas representando um planeta do Sistema Solar – para uma jornada iniciática. Aplaudido no Festival de Cannes de 1973, o filme foi produzido com o auxílio os Beatles, que eram fãs do trabalho do diretor. Exibição em DVD.
Grade de HoráriosSemana de 2 a 7 de março de 2010Terça-feira, 215h – A Montanha Sagrada17h – Crítico19h – El TopoQuarta-feira, 3 15h – Fando e Lis (acompanha o curta A Gravata)17h – Crítico19h – A Montanha Sagrada, sessão seguida de debate com os críticos Cristian Verardi, Thomaz Albornoz e Marcus MelloQuinta-feira, 415h – A Montanha Sagrada17h – Crítico19h – El TopoSexta-feira, 5 15h – Fando e Lis (acompanha o curta A Gravata)17h – Crítico19h – A Montanha Sagrada Sábado, 6 15h – A Montanha Sagrada17h – Crítico19h – Fando e Lis (acompanha o curta A Gravata)Domingo, 7 15h – Fando e Lis (acompanha o curta A Gravata)17h – Crítico19h – El Topo

Nenhum comentário: