Translate

quinta-feira, setembro 03, 2009

A Secretaria Municipal da Produção, Indústria e Comércio (Smic) promove a Semana do Peixe nas bancas de pescado do Mercado Público. A iniciativa conta com apoio do Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) e prossegue até sábado, 5. A Semana do Peixe 2009 tem como objetivo incentivar o consumo de pescado em todo o país, com foco na alimentação saudável. Na manhã de sábado, 29, o secretário da Smic, Idenir Cecchim esteve visitando as sete bancas de comércio de peixes do Mercado Público, acompanhado do ministro da Secretaria Especial de Aquicultura e Pesca, Altemir Gregolin. A campanha de incentivo ao consumo de pescado nos pontos de venda da cidade tem apoio do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Entre as entidades parceiras estão a Associação Brasileira de Supermercados (Abras) e Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), que coordenam as ações de promoção de pescados e festivais gastronômicos organizadas por seus afiliados.Conforme informações do Ministério da Pesca e Aquicultura, serão distribuídos dois milhões de folhetos aos consumidores em todo o país com informações sobre os benefícios à saúde que o consumo de pescado proporciona, além de dicas de como verificar a qualidade do produto na hora da compra, como limpar o pescado e diversas receitas. Serão distribuídos ainda 70 mil cartazes para serem afixados em bares, restaurantes e supermercados participantes da campanha.No ano passado, a Semana do Peixe esteve presente em mais de 70 redes de supermercados do país, envolvendo cerca de 1.500 lojas. No período do evento, a venda de pescados nesses estabelecimentos cresceu em média 60% com relação ao mês anterior, superando todas as expectativas de resultados. Alguns supermercados regionais chegaram a atingir 300% em crescimento de vendas.Dicas - O pescado fresco deve ser úmido, firme e sem manchas estranhas na pele, no caso dos peixes e molusco, ou na carapaça, no caso dos crustáceos. Os olhos devem estar brilhantes e salientes. As brânquias devem estar úmidas, brilhantes e com cor entre o rosa e o vermelho intenso. Os crustáceos devem ter a cor própria da espécie e não apresentar cor alaranjada ou negra na carapaça. Os mariscos só podem ser vendidos vivos e os polvos e lulas devem estar com a carne consistente e elástica.A conservação será outro ponto em destaque para os consumidores. Após o descongelamento, os pescados só podem ser congelados novamente se cozidos e preparados. No congelamento caseiro, os peixes devem ser mantidos inteiros, mas sem as vísceras. Camarões e lagostas devem ser congelados sem cabeça. Nunca se deve congelar espécies diferentes num mesmo recipiente. Ao manusear o pescado, o vendedor deve utilizar luvas descartáveis e a higiene do local de venda deve ser observada como um todo. Os peixes são alimentos extremamente perecíveis e por isso é necessário tomar muito cuidado com seu manuseio.Consumo - A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que o consumo de pescado para cada pessoa seja de 12 Kg/ano. No Brasil, no entanto, essa medida está por volta de 7 Kg/ano. O plano “Mais Pesca e Aquicultura”, do Ministério da Pesca, traçou como meta chegar a 2011 com um consumo médio de 9 Kg/ano por habitante. Com uma costa marítima em torno de 8,5 mil km, além de vários reservatórios propícios para o cultivo em cativeiro, o Brasil tem um enorme potencial para desenvolver sua produção de pescado, que nos próximos quatro anos deverá aumentar em cerca de 40%.

Nenhum comentário: