Translate

sexta-feira, junho 05, 2009

*A nota publicada hoje na coluna de Rosane de Oliveira, em Zero Hora, comentando a possibilidade de venda do Correio do Povo, desta vez a partir de uma articulação que envolveria o ex-deputado José Dirceu (PT), é contestada com veemência pelo Grupo Record. A edição de amanhã do jornal apresentará um editorial duro, refutando o que a direção considera “insinuações”. O editorial estranhará “ilações políticas” que estariam sendo feitas dentro de uma campanha para desprestigiar o Correio do Povo.
Como da vez anterior, o comprador seria o empresário mineiro e ex-deputado federal Vittório Medioli, proprietário da Sempre Editora, que publica o jornal O Tempo, de Belo Horizonte, e possui um dos maiores e mais modernos parques gráficos do Brasil. No último dia 14, Coletiva.net informou que Medioli fez uma oferta, que ele mesmo considerou “irrecusável”, pelos jornais Correio do Povo e Hoje em Dia, este da capital mineira, e ambos vinculados à Igreja Universal. A proposta não foi aceita porque, segundo a direção nacional do Grupo Record, seus jornais não estão à venda. A Record, ao contrário, chegou a avaliar a possibilidade de adquirir o jornal O Dia, do Rio de Janeiro, mas recuou devido ao passivo da empresa.
Agora à tarde, o site da Revista Voto banca a informação e afirma no título: “Grupo mineiro compra jornal gaúcho Correio do Povo”. A nota afirma que “o novo dono é o italiano Vittorio Medioli, proprietário de outros veículos de comunicação, como os jornais O Tempo e Super Notícia, de Minas Gerais”. (Coletiva.Net)
Veja outras notícias relacionadas:
Grupo Record avisou: não tem interesse em vender jornais
Correio diz ter compromisso centenário e nega venda
Colunista do JB divulga venda do Correio do Povo

Nenhum comentário: